Postagem em destaque

Saúde e longevidade no século XXI

 Tudo bem que nascemos sem manual de instruções e logo de início ficamos a mercê das “regras” da família. Mas se você cresce e não está saud...

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Como ganhar dinheiro na Internet

Como ganhar dinheiro (rápido/fácil) na Internet e outras frases do gênero disputam os primeiros lugares das mais acessadas nos sites de busca, especialmente no Google onde mal se começa a escrever a palavra ou frase e ele já completa com as possibilidades mais populares na Web. E tem realmente muita gente ganhando dinheiro rápido e fácil na net, mas fazendo o quê? Eis a questão. Além de publicidade em blogs, sites e agora até em redes sociais, tem os anúncios do Google que paga-se para ser listado entre os 10 primeiros, os 20, os 30, no máximo até entre os 50 primeiros, porque além disso, dificilmente um cidadão comum acessa. Ou então, para aparecer do lado direito da página da busca, tendo ou não a ver com o assunto da mesma, simples espaço de propaganda, como nas tradicionais revistas, onde se está lendo um artigo sobre política e ao lado tem anuncio de comida, calcinha, carro, ou qualquer coisa que tenho pago para estar lá e desviar a atenção do incauto leitor. O truque é velho, mas a roupagem é nova!
E não se paga pouco como na mídia tradicional. Mas dizem que com isso seu site/blog/página passa a ter x acessos por dia, e com isso, pode-se faturar alto, com propagandas, prestígio e venda de produtos e/ou serviços. Entretanto, o mesmo Google e outros sites de busca que hoje vivem dessa propaganda massiça, pagam usuários por clique para "clicar" nos tais sites/blogs/páginas, contabilizando x acessos por dia. Ora, paga-se para ficar conhecido e ter prestígio, mas na realidade o que se tem são apenas cliques que podem ou não significar a compra ou  interesse no produto. A maior parte dos cliques que são contabilizados provém destas pessoas que são pagas apenas para isso. Logo o cliente está jogando dinheiro fora, pior do que com mala direta ou folder.... ele está pagando para uma "máquina" , um "robô" (humano ou não) acessar a página, falsificando a análise baseada em números que estes sites dão para o cliente, comprovando que está tendo um bom resultado. Todavia o que se tem na verdade são apenas números de cliques e não acessos reais, o que provavelmente não interessa para a maioria que quer vender algo na internet.
E é nisso que está baseado todo este alarde e propaganda enganosa de como ganhar dinheiro fácil com a Internet, dando origem a verdadeiros "gurus" do marketing digital que, estes sim, estão enriquecendo às custas da desinformação de como realmente funciona o sistema da rede e toda esta propaganda virtual. Para estes, o que vale realmente são os números. E nessa matemática louca cabe tudo, de estatística a fórmulas logarítmicas que pretendem dar conta do perfil (psicológico) do consumidor virtual.
Em meio a isso tudo, surgem marqueteiros da pior espécie de marketing, baseados não na propaganda em si, nos seus princípios de concorrência e criatividade, mas em estudos de psicologia de massas e behaviorismo imediatista que expõem os traços do comportamento humano diante de determinados estímulos mentais e no estudo de mecanismos de associação frente a tipos de discursos promocionais. Tudo mecanica e matematicamente estudado, porém que foge do princípio ético da venda e do mercado.
O pseudo-guru, ex-engenheiro e analista financeiro, Erico Rocha vem espalhando um curso a preço exorbitante (tendo em vista a realidade do mercado brasileiro), apregoando ensinar essas técnicas de lâmpada mágica, através de uma chamada Fórmula de lançamento que promete ao sujeito ganhar 6 dígitos em 7 dias, ainda que o mesmo não tenha nem produto, nem serviço a oferecer. Ele, Erico Rocha e outros associados a ele que anunciam seu curso em seus próprios sites/blogs em troca de vultuosos percentuais, é o guru da enganação, atraindo inclusive pessoas honestas que realmente possuem produto, gravando depoimentos destas pessoas, induzindo que eles enalteçam a fórmula de lançamento dele. Estes videos são bem maneirosos, tendenciosos, com questões direcionadas a obter respostas previsíveis a fim de garantir a credibilidade da tal fórmula mágica e baseia-se em gatilhos mentais que nada mais são que brechas subliminares comuns à mente humana diante do ato de consumir, em especial, algo novo. Ele ensina inclusive a como "fabricar" prestígio e credibilidade a fim de melhor ganhar a confiança do internauta.
O negócio é mais que maquiavélico, é diabólico  pois pega a maioria desinformada da população brasileira e da inconsciência típica do cidadão comum. Ele mesmo, o Erico Rocha, não criou este sistema que ele diz ser a solução pra todos os seus problemas financeiros. Ele apenas traduziu (se foi ele mesmo que fez!) para o vernáculo o que aprendeu de um desses gurus americanos (também sem caráter ) que pretendem apenas vender qualquer coisa, nem que seja um terreno na Lua ou uma passagem de ida e volta a Júpiter. É o mercado em função do mercado, marketing do marketing como o ouroboros.
A tal fórmula se baseia num esquemas de videos e pdfs(se houver e se der ao trabalho), onde o "vendedor" aprende a falar muito, por cerca de 15 a 20 minutos, mas sem dizer coisa alguma, numa sucessão de promessas que serão reveladas no próximo, no próximo até que o indivíduo, cheio de curiosidade compre o "curso" ou produto. Os emails que são fruto de páginas de captura são um amontoado de coisa alguma, e tem quase todos o mesmo formato e dizeres, mudando apenas o nome do santo e seu  produto. O discurso dos mesmo estão baseados nos principais problemas do ser humano - saúde, amor e prosperidade. As promessas são no estilo Polishop e outras da TV tradicional - bonus, brindes, descontos vultuosos e ofertas irrecusáveis. Tudo isso oblitera o discernimento do cidadão e acaba induzindo forçosamente a compra do tal produto por causa das inúmeras "vantagens" que nada mais são que o próprio produto desmembrado em pedaços. O desconto é do tipo pior que final de feira livre, pior que liquidação de shoping - coloca-se o preço "real" nas alturas e apresenta um desconto totalmente absurdo que beira a faixa de mais de 500%, às vezes. E tudo isso é oferecido, sem critérios para o Universo de milhares de pessoas.
Da última vez que recebi um email desses, do sr. Erico Rocha, percebi nas entrelinhas que ele tinha faturado muito mais que 6 dígitos já que é o pai da criança e seu curso está na faixa dos 4 dígitos. Ora, para ele foi fácil alcançar os 8 dígitos  em uma semana e assim mostrar quão poderosa é sua fórmula mágica. É no mínimo vergonhoso, ignóbil e inadimissível se pensarmos na nossa realidade brasileira e na crise internacional do capitalismo que assola os países não só do 1º mundo, mas principalmente os de 3º. Ele ainda esnoba nun video gravado no terraço de um café caro e famoso de Brasília, dizendo que trabalha onde quer, a hora que quer, como e quando quiser, inictando aos seus possíveis compradores a ambicionar a mesma condição.
A propaganda tem uma ética, tudo no mundo tem (ou pelo menos tem que ter este princícpio regulador) e não está presente no marketing, mormente este tipo que começa com frases e promessas pomposas, relacionando vantagens inconcebíveis para quem adquirir o tal produto. E vemos hoje este tipo de marketing invadir todos os campos da vida humana - social, política e pessoal, completamente alijado de qualquer princípio ético ou moral, calcado apenas no mercado, ou seja, no consumo imediato sem reflexão. É exatamente isto que está agora circulando pela Web que deixa a tarefa de discernir o que realmente presta nos sites e blogs, em meio aos produtos e serviços anunciados, cada vez mais difícil. Como ganhar dinheiro rápido (fácil) com a Internet, trabalhe em casa na hora que quiser e quantas horas quiser, fature 6 dígitos em 7 dias... são os slogans da Fórmula de lançamento, a fórmula do sucesso que talvez venda até a mãe, mas com certeza não entrega!
Enhanced by Zemanta

Um comentário:

  1. Enquanto houver otários, haverá malandros. Esse Erico Rocha deveria ser preso por enganar tanta gente.

    ResponderExcluir

Comente mas modere-se sempre. Liberdade de expressão e respeito às diferenças que nos une nesta tão ampla e diversa Humanidade.