Postagem em destaque

Saúde e longevidade no século XXI

 Tudo bem que nascemos sem manual de instruções e logo de início ficamos a mercê das “regras” da família. Mas se você cresce e não está saud...

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Saúde e longevidade no século XXI

 Tudo bem que nascemos sem manual de instruções e logo de início ficamos a mercê das “regras” da família. Mas se você cresce e não está saudável – e vejo que a maioria das crianças e adolescentes já estão bem doentes, frequentando médico desde cedo – a pergunta que se faz é: como ser saudável e viver saudável, sem remédios ou aditivos até uma longa data?
Sim, porque de que adianta viver 80 ou 90 anos se você é dependente de remédios. É falsa essa longevidade. Na verdade só falta manter os idosos em máquinas – como muitos que conheço em hemodiálises e outros aparelhos! Isso é vida?
Lendo as postagens diárias na web sobre saúde, um indivíduo são quase enlouquece. É uma verdadeira guerra de informação e contrainformação a serviço das grandes indústrias farmacêuticas e alimentícias, mais os planos de saúde, os médicos, as faculdades de Medicina e todo o conselho médico. Tudo e todos no mesmo conluio de autoproteção e sustentação.
A medicina ou terapia natural/ alternativa segue pelo mesmo caminho, com lojas de produtos “naturais” a preço de ouro e diamante. Se realmente considerar tudo que falam, a pessoa não pode ingerir: ovo, lactose (leite, queijo, iogurtes, cremes, sobremesas cremosas, sorvetes), glúten (consequentemente todas as massas – bolos, pães, torradas, biscoitos, pastas, pizzas etc), carne vermelha e embutidos, restando, mal e porcamente, aves, peixes (não de cativeiro!) alguns legumes e algumas verduras e frutas que devem ser todas orgânicas, com selos de certificação (contando que não haja corrupção nisso!).
Tem legume que não deve, tem fruta que não se come e não pode fazer suco ( a última foi a carambola! meu deus, a natureza é cheia de venenos!), tem verdura que faz mal, enfim... a solução é viver de água (cuidado para não ser contaminada), ar e luz! E deu!
Vou contar minha trajetória desde 16 anos quando tomei ciência de que tinha que ser dona do meu corpo e do seu cuidado. Que depender de médico seria uma catástofre total, já que nem eles entram em consenso.
 Deixei de comer carne vermelha por 30 anos e sofri com a carência de vitamina B12 e sempre estive anêmica. Tive 2 gravidezes que quase me fizeram transfusão de sangue, porque o ferro que tomava não adiantava. Voltei a comer carne (é verdade que pouco, pois não aguento mais - 3x por semana no máximo, um bifinho!) e o sangue voltou ao normal. Não usava óleo nenhum, nem fritura, só azeite - meu LDL, o colesterol bom, ficou baixíssimo e disseram que era mais perigoso que o outro alto!. Então passei a ingerir manteiga e o óleo de coco e usá-lo diariamente na comida - o que aconteceu? Taxa alta de colesterol e triglicerídeos - tomei esporro do médico!
Há 30 anos não como açúcar refinado, preferindo mel e consumo quase tudo sem adicionar açúcar, inclusive o café e todos os chás e sucos - o que deu no exame?  Hemogoblina clicada alta, enfim, já estou no início do diabetes!!!! E ainda nem sei como isso aconteceu, nem mesmo os médicos explicam e ficam naquela – ela deve estar mentindo, ela deve comer escondido chocolates, brigadeiros, etc.
Estou horrores  acima do peso com uma dieta baseada em carnes magras e verduras, legumes e frutas;  como isso é possível? Comecei a ingerir o ovo conforme a nova indicação (inclusive de um médico ortomolecular)  que ele não faz mal a saúde e estou com entupimento de veias, já tive um derrame na vista e frequentemente caimbras .  Até apareceu um problema no coração!!! E ateroesclerose!
Sou uma pessoa ativa, sempre pratiquei esportes, sempre estive em movimento com longas caminhadas e mesmo assim, não consigo baixar de peso. Já fiz exames endócrinos e nada consta. A pressão está 12 por 9 e inventaram que a partir de 12 por 8 já é hipertenso. Vc pula do normal para o hipertenso e já querem te empurrar mais uma droga e pela vida inteira. Já escutei de médico que a partir dos 50 não tem jeito. Tem que se conformar e ir tomando os remedinhos até não mais poder e passar dessa para melhor.
Não sei mais o que é ser saudável! Só vejo gente enriquecendo às custas da saúde da população, seja a medicina tradicional alopática, seja esta outra alternativa que tem cobrado caro por cada informação, remédio ou sei lá mais o que. No final, a população é quem paga e não tem saúde!


O SUS é completamente comprometido com o sistema e a indústria farmacêutica - é só observar os remédios indicados pelos médicos e fornecidos nos postos de saúde e farmácias populares. Eu percebo que a maior parte das doenças deste século é derivada do efeito colateral de outras drogas, da química dos alimentos e dos agrotóxicos.
Em pleno século XXI, com toda a alta tecnologia e a população doente e mais doente! Será que retrocedemos e estamos mais ignorantes? Ou estamos sendo envenenados aos poucos e vão conseguir eliminar muita gente dos países emergentes, em desenvolvimento ou o nome que queiram dar para os países pobres? A pergunta é: onde está a Verdade de tudo isso?
Não sou favorável a teorias da conspiração, mas fica-se tentado a raciocinar desse jeito, já que não a resposta lógica nem convincente de nenhum lado. Há os metafísicos que defendem que tudo é mental. Sim, se tudo é mental, bastava pensar em saúde, não pensar em doença, comer alegre o que quisesse e nada de mal aconteceria. Mas os mentalistas esquecem que a via é de mão dupla – a mente influencia o corpo, mas o corpo também influencia a mente.
Se você bebe demais fica bêbado e pode perder a consciência... se come demais, passa mal e tem pesadelos... se ingere substâncias alucinógenas, alucina e quase enlouquece... alguns alimentos/substâncias  perturbam o sono, a digestão, o funcionamentos dos intestinos e a mente começa a ficar confusa, perder o senso e a memória. .. açúcar demais altera o temperamento, assim como ácido demais, amargo demais ou salgado demais. Logo é mente/corpo, mão dupla.
Não existe resposta/solução simplista porque o complexo do corpo/mente humanos ainda é muito desconhecido, sem contar que cada indivíduo, considerando raça, ambiente, educação, atividade, cultura é diferente. Portanto, não deve ser a mesma alimentação que serve para todo mundo, muito menos a mesma quantidade. Isto vale para remédios, coisa completamente ignorada pelos médicos.
Dr, Lair Ribeiro vem fazendo alardes, junto com seus discípulos. Acusa o sistema de expropriar a população com o preço dos remédios, consultas e exames. Entretanto, o que ele faz de concreto – mais alardes, mais informação e sempre com o cuidado de defender o seu lado. As informações são caras, os suplementos que ele recomenda também.
O conjunto dos profissionais da saúde está envolvido nesta ciranda dos infernos. Parece realmente uma condenação sem saída. Seja nutricionista, médico, dentista, enfermeiro, agente de saúde – tudo no mesmo navio, colocando a população cativa na terceira classe.
Com relação ao emagrecimento então, a coisa só piora. Uma indústria bilionária prometendo  toda sorte de emagrecimento e juventude. Tem dieta de tudo e até a anti-dieta que, no fim das contas, passa a ser uma dieta também. A história da mente magra é a maior enganação que já vi: quem pode descrever como pensa um magro? Já vi magro comilão, magro beberrão, magro que não está nem aí para o que faz bem ou mal, comendo de tudo e já vi gordo que passa a vida contando calorias, fazendo dietas e nada. Mas, se solta o controle, aumenta mais ainda o peso. Já fiz EFT, PNL, Healing, e outras tantas invencionices. No final, todos mandam você fechar a boca! O mistério do metabolismo que ninguém conhece nem resolve. Mas não falta aquele para vender drogas que o estimulam – de cápsulas até chás e que no fim, também não estimulam nada e fica-se na mesma.
Muitos falam em comer de verdade – tem os veganos, os crudívoros, os vegetarianos e mais uma porção de bandeiras e sistemas mirabolantes e bem intencionados. E nenhum, a vera mesmo, garante a nutrição, a energia e o bem estar constante do ser humano.
Já fui vegetariana, crudívora, macrobiótica, ovo-lacto vegetariana, omnívora  moderada, paleo-lowcarb e nenhuma delas me garantiu nem emagrecimento, nem saúde integral – sempre faltava algo. E ainda falta!
Não é de estranhar que a população da Terra, que vive em lugares diferentes com condições socioculturais e econômicas diferentes,  sofra dos mesmos males? Ansiedade, estresse, diabetes, obesidade, Alzheimeir, pressão alta, insuficiência renal e hepática e agora a tal da pangastrite com a maldita bactéria H-pilori que infesta a todos e ninguém sabe como! E todos tomam os mesmo remédios. Todavia, como isso é possível se nada é igual em cada país? Como um americano, um inglês, um francês, um australiano, um brasileiro, um argentino ou um sulafricano pode sofrer dos mesmos males?
No Brasil, o remédio campeão é o Rivotril, seguido do Omeprazol , Fluxetina, Furosemida, Paracetamol, Hidroclorotiazida, Clorpropramida entre outros. Todos com diversos efeitos colaterais efetivos e não ocasionais. Assiti um vídeo que relaciona o processo da administração destas drogas e seus efeitos no organismo. vale a pena dar uma olhada:  https://www.youtube.com/watch?v=nCQiRPv14tE.
Conclusão: o que fazer para realmente ter saúde? Onde viver, o que comer, o que beber, como se exercitar, o que pensar, o que sentir? Onde trabalhar e ser reconhecido e bem remunerado (pois isso também afeta sua saúde)? Dúvidas que assolam a todos, com muitas respostas e nenhuma solução realmente. A não ser que se mude de país, indo para o primeiro mundo, de preferência num dos país que formam o G-8 e, com muito dinheiro, pague-se realmente bons profissionais que te deem esta resposta. Ainda assim, fico eu cá com minhas dúvidas se conseguiria!